Twitter

Postagem em destaque

Como denunciar os crimes de discriminação

As discriminações contra os nordestinos durante as eleições presidenciais são considerados crime nos artigos 286 e 287 do Código Penal. ...

Procuradoria em SP denuncia jovem por racismo no Orkut

06/05/2009


O Ministério Público Federal (MPF) em São Paulo denunciou um jovem de 21 anos “por ter praticado, induzido e incitado a discriminação e o preconceito de raça, cor, etnia, religião e procedência nacional”. De acordo com as investigações, o rapaz mantinha no site de relacionamentos Orkut a comunidade “Mate um negro e ganhe um brinde”, composta por 16 pessoas. A denúncia, divulgada nesta segunda-feira (4), foi feita no dia 30 de abril.

O MPF informou que a comunidade criada pelo réu “veiculava mensagens racistas e nazistas”. Autor da denúncia, o procurador da República Sergio Gardenghi Suiama afirmou que a Procuradoria da República em São Paulo “já ajuizou outras ações por crimes de ódio praticados na Internet” e que “os crimes cometidos em redes de relacionamento como o Orkut serão investigados e punidos, na forma da lei”.

Após a identificação do usuário pela empresa Google Brasil, a Justiça Federal autorizou a busca e apreensão na casa do denunciado. Lá foram apreendidos materiais com alusão ao nazismo, como desenhos com a suástica, imagens de Adolf Hitler e ainda um DVD e um livro que falavam sobre os skinheads.

De acordo com o MPF, a Constituição brasileira afirma que o crime de racismo é inafiançável e imprescritível. A pena pode variar de 2 a 5 anos de prisão. Os integrantes da comunidade que teriam postado mensagens de cunho racista também são alvo da investigação.

0 comentários: